27 de setembro de 2010

Família Santiago fixa raízes no município de Santo Antônio de Salinas

José Santiago (1873-1944).
Por Roberto Carlos Morais Santiago

1898 - Final do século XIX. Chega a Santo Antônio de Salinas, oriundo de Medina, José Santiago (1873-1944) e sua esposa Virgínia Celestina Santiago (1882-1965), para ser professor. Natural do município de Diamantina (MG), filho de Justino Santiago e Anna Maria de Jesus, ainda jovem, foi estudar medicina em Salvador, Bahia. Após dois anos desistiu do curso, não se sabendo o motivo.

Em 1896 retornou para Minas Gerais na cidade de Medina onde casou em 1896. Em 1898 chega ao município de Santo Antônio de Salinas. Dois anos depois, em 1900, sai da cidade de Salinas e muda-se para a zona rural do município no povoado de Lagoinha, distante 25 quilômetros, para também ser professor a convite de um amigo importante de Salinas.

O povoado de Lagoinha naquela época tinha posição estratégica na ligação entre Salinas e Montes Claros, pois a estrada passava ali, no que favoreceu o surgimento de aglomeração urbana era parada obrigatória de pessoas e tropas. Fixando raízes no povoado, logo comprou uma propriedade rural (Fazenda Bomfim), no ano de 1903.

Teve 12 filhos: Antônio Santiago (1897-1950), Maria Santiago (1899-1953), Leôncio Santiago (1901-1945), Silvio Santiago (1903-1986), Alzira Santiago (1905-1996), Santinha Santiago 1908-2001), Arlindo San tiago (1909), Anísio Santiago (1912-2002), José Elzito Santiago (1915-1945), Anita Santiago (1913-2008), Osvaldina de Abreu Santiago (1917) e Osvaldir Santiago (1919-2007). Todos os seus filhos nasceram em Salinas, exceto o primogênito que nasceu em Medina.

Foi espécie de líder no povoado, pois era muito culto (falava latim, espanhol, francês e inglês) e tinha conhecimentos sólidos de medicina, pois estudara em Salvador, embora não tenha concluído o curso. Como não havia médicos na região naquela época, ele era muito procurado pelas pessoas doentes. Na fazenda Bomfim, no povoado de Lagoinha, bastante conservados, há bastante livros adquiridos por José Santiago ainda na época do Império. Faleceu em 1944. É o patriarca da família Santiago em Salinas.

4 comentários:

Kath brito disse...

Adorei o blog. Seria incrivél se adicionasse fatos recebtes da politica salinense e sua influência na região.

Nadir Evangelista disse...

sempre vou a Salinas-tenho tios e primos que moram em salinas,amo essa cidade,terra de gente boa.

Milton Santiago disse...

Estou escrevendo o livro "Os mil tons da historia" com uma narrativa em prosa poética que relata coisas da minha família. Regresso à minha infância feliz, que é a minha grande caixa de memórias e historias que ouvia dos meus familiares. As historias são interessantes, principalmente relacionadas ao nosso avô Zé Santiago.

Anônimo disse...

meu avó ALFREDO SANTIAGO (FALECIDO) É FILHO DE ANTONIO SANTIAGO, MEU PAI SE CHAMAVA ANTONIO SANTIAGO NETO