28 de abril de 2013

DISTRITO DE BOM JARDIM DAS TAIOBEIRAS

Antigo mercado de Taiobeiras.

Por Roberto Carlos Morais Santiago

Até a primeira década do século XX o povoado de Bom Jardim das Taiobeiras pertencia ao território do município de Rio Pardo de Minas. Estrategicamente localizado, funcionava como entrocamento de rota de tropeiros no transporte de mercadorias para Araçuaí, Montes Claros, Teófilo Otoni, Salinas e sertão da Bahia.

Com isso o povoado cresceu e foi elevado à categoria de distrito pela Lei Estadual nº. 556, de 30 de agosto de 1911 e incorporado ao território do município de Salinas. Como a divisa territorial entre Salinas e Rio Pardo de Minas passava dentro do antigo povoado onde hoje existe a avenida Contorno, moradores lutaram pela incorporação ao território salinense por acharem ser mais vantajoso sob o ponto de vista econômico e político.

Com o passar dos anos o distrito teve grande crescimento e a população local passou a reivindicar sua emancipação de Salinas. Foi um processo lento, pois a política de Salinas não permitia. Em 1943 a emancipação quase ocorreu. Já aprovada pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais, precisava de sanção do governador. 

Cel. Idalino Ribeiro, líder político de Salinas, solicitou ao governador que não aprovasse pelo fato que terras da povoação de Matrona seria incorporada ao novo município. Salinas não aceitaria pois seria uma das melhores terras do município salinense.

Carta do Cel. Idalino Ribeiro ao governador confirma o imbróglio. Vejamos:

"Senhor Governador,

Saúde,

Regressando ao Norte do Estado, peço ao prezado amigo e chefe, não consentir que o distrito de Taiobeiras, sem renda, sem gente, sem território e sem nenhum melhoramento, seja elevado a município.

Principalmente, querendo tomar a melhor faixa de terra no que existe no município de nossa Salinas, no nosso distrito da cidade, o melhor que temos.

Abraço, agradecimentos do velho amigo admirador.

Idalino

Capital, 16/11/43"

O pedido do Cel. Idalino Ribeiro foi aceito pelo governador e a emancipação de Taiobeiras não ocorreu gerando enorme insatisfação do povo taiobeirense. Entretanto, o lento processo de emancipação continuou e concretizou-se uma década depois por meio da Lei Estadual nº.1.039, de 12 de dezembro de 1953, que teve o apoio do emergente político de Salinas, Geraldo Paulino Santanna, que fazia oposição ao Cel. Idalino Ribeiro.

Centro histórico de Taiobeiras.

A efetivação da emancipação deu-se no dia 1º. de janeiro de 1954, com a posse do intendente (administrador) Lídio Ituassu, nomeado pelo governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitschek. 

Assim, Taiobeiras foi o segundo distrito a se emancipar de Salinas. O primeiro foi o distrito de Fortaleza (atual município de Pedra Azul) ocorrido em 1911.

Para quem quer conhecer mais sobre a história da região de Salinas o blog História de Salinas recomenda leitura do excelente livro do escritor taiobeirense Avay Miranda intitulado "Taiobeiras: seus fatos históricos". O livro aborda aspectos sociais e políticos de Salinas e Taiobeiras.
__________

Referência bibliográfica:

MIRANDA, Avay. Taiobeiras: seus fatos históricos. Brasília: Thesaurus, 1997, vol. I e II.
SANTANNA, Geraldo Paulino. O Caminho de volta - A travessia do deserto. Belo Horizonte, 2005, 2ª. edição.

4 comentários:

LEVON NASCIMENTO disse...

Excelente a explicação sobre Taiobeiras. No entanto, apenas uma correção. Onde se lê "Bom Jesus de Taiobeiras", leia-se "Bom Jardim das Taiobeiras", este último o nome correto do então distrito, atual município de Taiobeiras.

Sérgio disse...

Um povo que não preserva sua cultura, é um povo sem memória. (não sei do autor)
Parabéns Roberto Carlos pelo excelente Blog, com produções de altíssimo nível.
Recomendo, se já não o fez, "backupar" seu precioso acervo.
Um grande abraço.
Sérgio Garcia, Pindamonhangaba/SP

vuhelp.net disse...

So nice blogger

Milton Santiago disse...

Foi criada em Taiobeiras a ATLAS, e eu sou um dos organizadores e também incentivador...Queremos escrever uma nova historia entre Salinas e Taiobeiras, como cidades irmãs...Reparar equívocos do passado é a nossa proposta...